Com o objetivo de investigar os responsáveis pelo vazamento de mensagens trocadas entre procuradores da Lava Jato e o ex-juiz federal e atual ministro da Justiça, Sérgio Moro, a Polícia Federal abriu, nesta quarta-feira (12), quatro inquéritos. A PF acredita que houve ação orquestrada. A investigação não aborda o conteúdo.

Os investigadores estão colhendo indícios sobre autoria de suposto ataque, o método usado para a obtenção dos dados e quem teve acesso a tais conversas. A principal suspeita sobre o método é a clonagem da conta no Telegram e o recebimento de uma chamada vinda do próprio número.

Segundo a Procuradoria Geral da República (PGR), isso aconteceu com diversos integrantes da Lava Jato e com ex-juiz federal Sérgio Moro. A PGR que já abriu procedimento interno para acompanhar o caso.

O Telegram, no entanto, disse que não sofreu qualquer ataque e aponta que as contas de Moro ou dos procuradores poderiam não estar bem protegidas ou que pode ter havido invasão do próprio telefone celular dos envolvidos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here